Loló Soldevilla

Dolores Soldevilla Nieto, conhecida como Loló Soldevilla, nasceu a 24 de Junho, 1901, em Havana, Cuba.

 

Lólo Soldevilla, activista convicta e ávida defensora da cultura no seu país, acaba por ser nomeada em 1949 Adida cultural de Cuba para a Europa, fixando residência em Paris. Nesse mesmo ano, encorajada pelo seu amigo Wifredo Lam, inscreve-se na Académie de la Grande Chaumière e inicia a sua carreira artística em 1950. 

 

Durante o período em que vive em Paris, convive com proeminentes artistas europeus e organiza inúmeras exposições centradas na Abstração Cubana do meio do século. Após o seu regresso a Cuba, em 1956, tem um papel fundamental enquanto elo de ligação entre a avant-garde europeia e os novos representantes da abstração na América Latina. 

 

Recentemente, a obra de Loló tem merecido uma atenção particular como demonstram as inúmeras exposições organizadas em Cuba, em toda a América Latina, e não só. Em 2008 o seu trabalho é incluído na exposição Cuba: Art and History from 1968 to Today, Museu de Montreal, Canadá. No mesmo ano as suas obras são apresentadas no Museu Groningen, Paises-Baixos.

 

Em 2011, a Fundação Juan March, Madrid, recebe a exposição América Fria – La abstraccíon geométrica em Latinoamérica 1934-1973, que inclui obras de Loló. Em 2014, as obras de Loló são incluídas na exposição Impulse, Reason, Sense, Conflict: Abstract Art from the Ella Fontanals-Cisneros Collection, Cisneros Fontanals Art Foundation, Miami.

 

Em 2015, o seu trabalho é incluído na exposição Concrete Cuba, na galeria David Zwirner de Londres. A exposição viaja, em 2016, para a galeria David Zwirner de Nova Iorque. Neste mesmo ano, o seu trabalho é escolhido pelo curador Okwui Enwezor para integrar a exposição Postwar: Art between the Pacific and the Atlantic, 1945-1965, que teve lugar no Haus der Kunst de Munique. Nos últimos 3 anos o trabalho de Loló integrou as exposições: Adiós Utopia:Dreams and Deceptions in Cuban Art, since 1950, Museum of Fine Arts, Houston, a mesma exposição é apresentada posteriormente no Walker Art Center, Minneapolis; Construções Sensíveis: The Latin-American Geometric Experience in the Ella Fontanals-Cisneros Collection, apresentada no Centro Cultural FIESP, em São Paulo; Triângulo, Loló Soldevilla, Sandú Darié e Carmen Herrera, Cisneros Fontanals Foundation (curadoria: Elsa Veja e Ella Fontanals-Cisneros),  em Miami.

 

Em 2018, A Fondation Cartier pour l’art contemporain, em Paris, apresenta obras suas na exposição Géometries Sud: du Méxique à la Terre de Feu. No mesmo ano, o Museu Reina Sofia, em Madrid, apresenta a exposição Paris without Regret: Foreign Artists 1944-1968, que inclui obras de Loló Soldevilla sendo considerada uma das artistas estrangeiras relevantes a residir em Paris no período em questão.

 

Em 2019, Galeria Sean Kelly de Nova Iorque realiza uma importante exposição individual da artista, intitulada Constructing Her Universe: Loló Soldevilla,  e publica aquele que é o  primeiro  catálogo dedicado ao seu trabalho e percurso.

 

Estamos a preparar uma importante exposição individual de Loló Soldevilla, que apresentaremos em meados de Abril, na galeria em Lisboa.